A Vacina e o Mercado de Trabalho

A Vacina e o Mercado de Trabalho

Desde o início da pandemia da Covid-19 em fevereiro de 2020, diversos setores foram afetados. A situação não foi diferente para o mercado de trabalho, afetado por fortes consequências negativas para a economia brasileira. Num cenário onde a convivência diária de empreendedores, funcionários e consumidores foi limitada, a solução para tal circunstância se encontrava apenas na encontra da vacina. Felizmente, no dia 17 de janeiro, a Anvisa aprovou o uso emergencial das vacinas disponíveis no país. O Fomento Mercantil ajuda empresas neste começo de retomada econômica

Continue descendo para entender melhor.

 

Cenário empregatício

Mediante as medidas de isolamento social, a taxa de desempregados continuou a subir em todos os trimestres de 2020, passando de 12,2% no primeiro trimestre para 14,6% no último trimestre, o que significa 13,8 milhões de pessoas sem emprego formal, segundo dados disponibilizados pelo IBGE. Diante da nova realidade, o número de microempreendedores individuais cresceu e alcançou 11,3 milhões no final de 2020, o que ilustra a busca de alternativas de renda por grande parte da população, ainda mais perante o fim do auxílio emergencial no início deste ano.

 

O atraso da vacinação e os reflexos na economia

É inquestionável os impactos negativos trazidos pelo atraso do início da vacinação no Brasil comparado a diversos países pelo mundo, olhando tanto pela perspectiva social quanto econômica. O início da recuperação do mercado de trabalho depende diretamente da circulação e convivência segura de trabalhadores e empregadores. Quanto mais o tempo passa sem o devido investimento na imunização nacional, o efeito dominó se agrava. As medidas de isolamento prevalecem, as empresas faturam menos e geram menos empregos, além do contínuo gasto público com benefícios emergenciais, que poderia ser evitado com uma campanha de vacinação eficaz em alta escala.

Em resumo, a vacinação em massa é a solução a curto prazo para a maior crise de saúde pública atual, assim como é a melhor resolução a longo prazo para a contínua decaída econômica.

 

Otimismo em meio à instabilidade

Mesmo com o início da vacinação apenas para os trabalhadores da saúde e grupos de maior risco, tal ação permitirá a circulação de mais pessoas pelas cidades, o que volta a aquecer o mercado. Perante a “solução” da pandemia, empreendedores esperançosos traçam planos de investimentos, aumentando seu estoque de produtos, gerando mais oportunidades de emprego e, dessa forma, movimentando o mercado.

Na medida em que os funcionários que estavam em home office retornam à suas atividades presenciais, também aumenta o consumo de produtos e serviços de microempreendedores e comerciantes locais, gerando a circulação do dinheiro a nível não só macro, mas também microeconômico.

 

O fomento mercantil como alternativa positiva

People in the office during pandemic having a meeting with masks on Free Photo

Neste cenário da retomada às atividades, ainda que de forma reduzida, muitos empreendedores e comerciantes necessitam de suas matérias primas e fundos para investir em seus negócios e movimentar a economia brasileira. É aí que empresas que prestam serviços de fomento mercantil, como a GC Factoring, entram em ação, comprando créditos e duplicatas, fornecendo recursos financeiros e impulsionando as atividades comerciais. Faça uma simulação, converse com um de nossos especialistas e conheça mais sobre os benefícios possibilitados pelo factoring.

Saiba como podemos ajudar você e sua empresa!

Entre em contato conosco e descubra.