Como escolher entre Factoring e FIDC para fugir da crise?

Como escolher entre Factoring e FIDC para fugir da crise?

 

A crise econômica decorrente das medidas de contenção do novo Coronavírus (Covid-19) deixou várias empresas financeiramente vulneráveis. O que torna essencial manter a liquidez contábil em dia. 

Mas como um gestor pode fazer isto num período em que a produção está parada e as pessoas estão isoladas? 

Uma boa solução é adiantar seus títulos creditórios, que são direitos derivados dos créditos que uma empresa tem para receber, por exemplo: cheques, aluguéis, duplicatas, parcelas de cartão de crédito.

Existem dois serviços que permitem o adiantamento desses valores: Factoring e FIDC. Mas qual a diferença entre eles? 

 

O que é Factoring?

Factoring é um serviço que tem como principal objetivo adquirir títulos creditórios, de empresas que fizeram vendas a prazo, tornando possível receber este valor adiantado de forma segura e eficiente e proporcionando uma melhor liquidez financeira.

A partir disso, ao receber esses créditos futuros, a empresa consegue impulsionar as questões administrativas como: Movimentar o fluxo do caixa, pagar contas, melhorar a liquidez e dentre outras.

Os principais títulos negociados no Factoring são: 

  • Duplicatas: representadas por faturas, notas fiscais ou mesmo por boletos bancários, originados da compra e venda ou da prestação de serviços;
  • Cheques: títulos comuns no comércio varejista, negociados no Factoring quando são emitidos para pagamento futuro, os chamados cheques pós datados (ou pré datados);
  • Notas promissórias: utilizadas em crediários e em negócios em geral;
  • Contratos: sejam de compra e venda, de locação ou de prestação de serviços, mesmo que não deem origem a uma duplicata ou título de crédito qualquer.

 

O que é FIDC?

FIDC (Fundo de Investimento em Direitos Creditórios), é um investimento de renda fixa, ou seja, como seu rendimento está atrelado a uma taxa previamente acordada é um fundo formado por investidores qualificados no mercado, para adquirir direitos creditórios originados por Empresas de qualquer porte e setor.

Por suas características, a grande vantagem para o investidor do FIDC é contar com uma possibilidade de rentabilidade superior a outros investimentos de renda fixa. Alguns fundos, inclusive, oferecem mais de 120% do CDI.

Eles adquirem os mesmos títulos negociados no Factoring, como: duplicatas, cheques, notas promissórias e contratos em geral.

 

Qual escolher?

A empresa tem a opção de escolha da ferramenta de crédito que melhor se adequa às suas necessidades, e que melhor impulsione o seu capital. Embora as duas opções sejam eficientes em seus moldes de concessão de créditos e adiantamentos de passivos financeiros, no entanto, mantém entre si diferenças básicas que impulsionam o nosso cliente a fazer a escolha entre elas.

No sistema de factoring é um serviço com eficácia e agilidade na aprovação de limite, podendo utilizar para ajudar o capital de giro a acompanhar seu negócio. Já o FIDC, além dos títulos operados na Factoring, pode fazer outras operações como cartão de crédito, utilizar garantia real em suas operações. Pela sua legislação consegue ter custos finais menores, pois tem isenção do IOF, PIS e COFINS, além do IRPJ podendo ser menores a da factoring.

Saiba como podemos ajudar você e sua empresa!

Entre em contato conosco e descubra.