Qual a diferença de FIDC e Factoring?

Qual a diferença de FIDC e Factoring?

Não é raro imprevistos criarem algum transtorno nas finanças das empresas que podem comprometer uma operação ou um bom negócio.

A antecipação de recebíveis é uma excelente alternativa para otimizar o caixa e o capital de giro quando há necessidade de dinheiro externo.

Essa operação é possível por meio de algumas instituições, mas, as mais procuradas são o FIDC e a Factoring.

Apesar de muita gente achar que esses dois tipos de serviços são iguais, existem muitas diferenças entre eles.

É exatamente isso que vamos mostrar nesse post, as diferenças entre FIDC e Factoring e como escolher a melhor opção. Continue lendo e confira!

O que é FIDC?

 

O FIDC, também conhecido como Fundo de Investimento em Direitos Creditórios, é uma das possibilidades existentes para a antecipação de recebíveis.

Esses fundos destinam a maior parte do seu patrimônio na compra de direitos creditórios junto às Pessoas Jurídicas.

Caso você não esteja familiarizado com o termo, direitos creditórios são os valores que a empresa tem a receber, como:

  • Duplicatas;
  • Cheques;
  • Contratos;
  • Recebíveis.

A regulamentação dos fundos é feita pela CVM – Comissão de Valores Mobiliários – e não há cobrança de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

O que é Factoring?

 

A Factoring também é conhecida como Fomento Mercantil ou Comercial.

É a atividade de compra ou administração de direitos de crédito de outra empresa.

Imagine, por exemplo, uma empresa que realiza suas vendas por meio de cheques ou duplicatas a vencer.

De posse desses títulos, a empresa vende-os à Factoring que, por sua vez, cobra sobre o valor uma taxa de deságio e o empreendedor passa a ter o dinheiro em mãos para uso.

Qual a diferença entre FIDC e Factoring?

 

O FDIC e a Factoring têm normas e objetivos bem diferenciados um do outro.

Uma das mais discrepantes é que o FIDC é considerada uma espécie de associação e todo o seu patrimônio é constituído por meio de investidores, cada investidor tem sua porção do fundo, chamada cota.

Esses investem valores na aquisição de direitos creditórios originados por empresas de qualquer porte e segmento.

O FIDC pode comprar e vender títulos, uma característica que não existe nas Factorings.

Isso porque os Fundos de Investimento em Direitos Creditórios compram os recebíveis de pessoas jurídicas e os vendem posteriormente aos investidores qualificados.

Já a Factoring é uma empresa formada que não possui investidores que injetam capital externo para a operação, por isso, todos os recursos utilizados pela instituição são próprios.

Diferente do FIDC, a Factoring não vende títulos, apenas os compra em transações de prazo mais curto e com menos burocracia.

Portanto, se sua empresa procura taxas melhores e menos burocracia, é mais vantajoso procurar pelos serviços de uma Factoring.

Benefícios da Factoring

 

A Factoring adianta um valor que a empresa tem a receber e é uma das mais eficientes e baratas linhas de crédito alternativas.

Em regra geral, ela funciona da seguinte maneira: a sua empresa realiza uma venda a prazo por meio de títulos e vende as duplicatas a vencer para antecipar o recebimento, pagando apenas um deságio no valor do documento.

Por ter uma estrutura mais simples, se comparado com o FIDC e as instituições bancárias, toda a operação é menos burocrática e rápida.

Mesmo realizando uma análise de crédito da empresa que irá vender os recebíveis e do cliente dessa, o processo é bem menos burocrático em relação às operações tradicionais.

Tudo pode ser feito por meio de uma factoring digital, onde o processo é online e o creditamento na conta é praticamente imediato.

Agora que você já sabe a diferença entre os serviços prestados por essas duas instituições, que tal contar com todos os benefícios da Factoring? Entre em contato com a GC Factoring!

 

(Imagens: divulgação)

 

Saiba como podemos ajudar você e sua empresa!

Entre em contato conosco e descubra.