Como otimizar o capital de giro para empresas?

Como otimizar o capital de giro para empresas?

Se você é empresário, certamente, já ouviu falar e sabe da importância do capital de giro para empresas.

Ele é vital para qualquer negócio, segmento e porte, e torna possível as operações da empresa.

Em resumo: todo tipo de negócio precisa ter o seu capital de giro para se garantir em qualquer eventualidade e para manter saudável a operação.

Dentro desse contexto, se você quer saber como otimizar o capital de giro para empresas, continue lendo nosso post.

O que é capital de giro?

 

Capital de giro é a quantia de dinheiro necessária para manter a operação.

Quando você faz uma compra, provavelmente, precisa pagar o seu fornecedor com um prazo curto, como 15 dias.

Já quando efetua uma venda, muitas vezes, seu cliente realiza o pagamento em um prazo mais longo, como 30, 60 e 90 dias.

Portanto, não é possível contar integralmente com os valores de vendas para suprir as necessidades mensais, pois, nem sempre, eles são recebidos de uma só vez.

É aí que entra o capital de giro, como se fosse uma reserva de dinheiro para que sua empresa continue operando nesse período. É ele que garante a saúde financeira da empresa.

Como otimizar o capital de giro para empresas?

 

Sem capital de giro, a empresa para e, por vezes, quebra. Para que isso não aconteça é preciso um bom planejamento financeiro.

Você precisa ter um controle rigoroso a respeito de todas as suas possíveis entradas e também dos seus gastos.

Juntamos algumas dicas que podem ajudar a otimizar o seu capital de giro garantindo mais segurança ao seu negócio:

São elas:

Priorize vendas com recebimentos mais rápidos

 

A primeira ação para otimizar o capital de giro é priorizar e incentivar os seus clientes a realizarem pagamentos à vista, se for em dinheiro é ainda melhor.

Para isso, essa operação tem que ser atrativa também para o seu cliente. Vale dar descontos, brindes e incentivos, desde que não comprometam a lucratividade.

Quando não for possível o pagamento à vista, tente reduzir ao máximo o número de parcelas, isso fará com que o dinheiro que você tem a receber entre mais rapidamente e em montantes maiores.

Ter controle e fazer gestão de capital

 

O grande erro de quase todo empreendedor é contar com o dinheiro que ainda não entrou.

O ideal é computar e gastar apenas o que tem disponível.

Contar com pagamentos ainda não recebidos pode ser um problema, afinal, você pode não receber na data combinada.

Para evitar imprevistos, é preciso fazer uma gestão de capital adequada, pois, só com ela se pode avaliar a realidade e necessidade dos valores para a manutenção e viabilidade das operações de uma empresa.

A gestão financeira é importantíssima para esse controle, é ela que possibilita que se façam previsões de entradas e saídas, bem como a análise do fluxo de caixa para entender se a operação está rendendo o que deveria ou não.

Infelizmente, a inadimplência é realidade da maioria dos negócios, dessa forma, se precisar parcelar, o ideal é fazer no cartão de crédito e não em crediário próprio, para diminuir os riscos de não receber.

Evite empréstimos com taxas de juros altas

 

Caso você realmente precise de dinheiro para manter a operação, deixe como última opção recorrer aos empréstimos.

Geralmente, eles têm taxas altas de juros que podem acabar inviabilizando o seu negócio e colocando em risco a sua lucratividade.

Caso realmente não tenha outra alternativa, busque primeiro as instituições bancárias onde sua empresa já possui algum relacionamento, é possível que as taxas dessas sejam mais atrativas.

Também tome cuidado em relação à forma de pagamento e quantidade de parcelas.

Antecipe os recebíveis

 

Uma boa opção para otimizar o capital de giro para empresas é fazer uso da antecipação de recebíveis.

Esse processo consiste no adiantamento de recebimentos dos valores que chegariam à empresa de forma parcelada, por meio de cheques pré-datados, duplicatas e, até mesmo, carnês de pagamentos à prazo.

Esse dinheiro pode ser utilizado para cumprir com compromissos financeiros ou aproveitar oportunidades de negócios imperdíveis, ou ainda investir na empresa com a compra de novos maquinários, por exemplo.

Essa operação é simples e, em alguns casos, pode ser feito online, como na GC Factoring.

A empresa cede à factoring o direito de crédito de seus recebíveis e essa, por sua vez, antecipa o valor referente aos documentos, cobrando uma taxa de deságio.

Assim, a empresa recebe de uma única vez o que receberia parcelado com taxas muito mais atrativas em relação aos empréstimos.

Se você gostou do nosso post, que tal ler também sobre os mitos e verdades a respeito das empresas de factoring?!

(Imagens: divulgação)

Saiba como podemos ajudar você e sua empresa!

Entre em contato conosco e descubra.